O Festival CONTATO é um evento anual realizado através da Universidade Federal de São Carlos, na cidade de São Carlos, interior de São Paulo. Conhecido pelo seu papel de articulador ao colocar projetos, pessoas, público e artistas literalmente em contato – o Festival possui mais de 30 atrações gratuitas ao longo de 7 dias de programação, é realizado por uma equipe de 40 colaboradores: produtores, estudantes, prestadores de serviços de dentro e de fora da Universidade e conta com um público médio de 20 mil pessoas. O CONTATO tem como premissa estimular iniciativas culturais de produção, distribuição e exibição independente, trazendo a São Carlos representantes de todo o Brasil que atuam sob esta ótica.

A curadoria e programação do Festival seguem esta mesma premissa de trabalho com foco em artistas e produções independentes, que buscam fazer leituras inovadoras e contemporâneas nas suas áreas de atuação através de inovações estéticas e tecnológicas, da ousadia na proposição de novos modelos de produção, de experimentação no conteúdo, formatos e meios de produção. Assim atuamos nas frentes musical, audiovisual, artes digitais e performances, buscando irradiar a diversidade e o conhecimento produzido nos quatro cantos do país.

Desde 2010 o CONTATO integra o Calendário Oficial de Eventos de São Carlos, assim como a Associação Brasileira de Festivais Independentes (ABRAFIN), assumindo em 2011 a Direção Institucional da Associação.

A construção do evento se dá de forma aberta e colaborativa. Em reuniões semanais, abertas a todos os interessados e transmitidas ao vivo online são decididos os rumos e demandas da programação e produção do festival. Todas as atas, planilhas e mapas de produção estão disponíveis para acesso online e através de uma lista de e-mails todos os interessados podem acompanhar e opinar sobre os rumos da gestão do festival. Oficinas e atividades de formação acontecem durante o ano todo buscando agregar, formar e empoderar novos colaboradores e produtores a partir dos interessados em participar voluntariamente da produção do festival.

As trocas entre artistas, produtores, entidades sociais, empreendimentos solidários, dirigentes, poder público, coletivos, pesquisadores e público acontecem ao longo de todo o Festival, e ao longo do período de preparação do evento, visando construir colaborativamente a programação e promover uma gestão horizontal entre sociedade civil, poder público e universidade federal.